Conectividade-Inovação

Conectividade: o coração da inovação digital

Leitura de 7 minutos
24/08/22

No mundo de hoje, a inovação digital é a chave para o sucesso. De modo geral, é capaz de levar os negócios a alcançarem novos patamares em seus mercados de atuação, trazendo desde a evolução em processos organizacionais até diferentes maneiras dos clientes experimentarem sua marca.

Mas o que, de fato, isso significa? E a que tipo de empresa se aplica?

Em primeiro lugar, é preciso esclarecer que a inovação digital é uma jornada, não um destino em si. É, portanto, um processo contínuo que demanda a adaptação a um cenário tecnológico evolutivo e constante.

Em segundo, que vale para organizações de toda natureza, tamanho e setor de atuação. Isso porque, aquelas que não avançarem em suas jornadas de aprimoramento com base nas demandas das novas tecnologias digitais inegavelmente ficarão para trás.

E nesse cenário, a conectividade desempenha um papel fundamental. Isso porque é parte integrante da maneira como vivemos nossas vidas pessoal, social e profissional, estando no centro de todas as jornadas de inovação digital.

Quer saber mais? Leia a seguir:

O que é inovação digital?

Em sua essência, a inovação digital é a prática de se aplicar tecnologia digital moderna na resolução de problemas de negócios, otimizando processos, melhorando a experiência do cliente e desenvolvendo novos produtos, serviços ou modelos operacionais e comerciais.

É importante dizer que a inovação digital é um processo que está continuamente em andamento, acontecendo em ondas. E que cada onda é impulsionada por novos avanços tecnológicos fundamentais.

Como exemplo, podemos mencionar a conectividade. Se pensarmos na evolução da internet, desde os antigos modelos discados até o 5G, que vem sendo recentemente difundido em todo o mundo, esse processo transformacional fica mais claro.

Nesse cenário, as ondas iniciais foram impulsionadas pela introdução da Web 2.0, pelos dispositivos móveis inteligentes e pela ampliação da conexão de internet de alta velocidade. Contudo, já vemos a Web 3.0 começando a impactar as nossas vidas e a tecnologia como a conhecemos. Ou seja, Internet das Coisas (IoT), big data, inteligência artificial, wearables, chatbots, metaverso… fato é que já estamos estamos cercados de inovação digital em nosso dia a dia.

O papel da conectividade no cenário evolutivo digital

De fato, a conectividade digital – incluindo tecnologias sem fio, com fio e por satélite – é a utilidade do século XXI. Pode-se dizer que é a responsável por impulsionar o avanço dos processos de negócios, da prestação de serviços, dos aspectos das cidades inteligentes e dos principais componentes das economias e sociedades atuais.

A conectividade digital também vem sendo uma ferramenta crucial no contexto de resposta e recuperação da COVID-19. Aqui, inclui-se desde a abrangência do atendimento médico à descoberta das vacinas, à habilitação do ensino e do trabalho remotos, ao comércio eletrônico e às comunicações críticas. Com efeito, os serviços digitais, sustentados por e redes de alto desempenho, devem se tornar mais integrais à sociedade no mundo pós-pandemia.

Nesse contexto, populações desconectadas estarão em maior risco de exclusão de muitos serviços online que melhoram a vida. A indústria móvel tem sido fundamental para estender a conectividade às pessoas, em todo o mundo. De acordo com um estudo divulgado pela GSMA, em 2021, os serviços de internet móvel chegaram a 4,2 bilhões de pessoas em todo o mundo

O Data Center é um elemento fundamental dessa jornada e precisa ser considerado no contexto das iniciativas de inovação digital mais amplas de um negócio. Isso porque são as estruturas responsáveis por conectar redes de comunicação, de modo que seus usuários possam acessar informações e sistemas remotamente.

Por esse motivo, a qualidade da conectividade de rede oferecida no Data Center nunca foi tão importante para o crescimento das organizações.


LEIA MAIS: 4G e 5G: saiba a diferença e prepare seu Data Center para a nova geração da internet móvel


O 5G no cenário da inovação digital

Quando começamos a navegar no novo normal e voltamos ao trabalho em jornadas híbridas, ficou claro que o uso da conectividade para viabilizar a maneira como vivemos seria perene.

Nos próximos meses, milhares de pontos de internet precisarão ser implementados – não apenas por meio da expansão na América Latina, mas em todo o mundo. Em especial, para que se possa viabilizar a inovação digital, seja dando suporte à nuvem distribuída e à edge computing (ou computação de borda, em Português) ou ao aprimoramento das operações empresariais em si.

Nesse cenário, os Data Centers serão os principais componentes habilitadores da infraestrutura 5G que, por sua vez, fará tudo isso acontecer, com foco na interconexão.

Para criar uma rede capaz de conectar todos os dispositivos e interações com eles, os dados precisarão ser transferidos, armazenados e processados em altas velocidades. Por isso, no back-end, determinados dados precisarão residir em uma rede dedicada, longe do congestionamento de outras aplicações.


LEIA MAIS: Data Centers neutros são cruciais para fomentar o 5G na América Latina


A inovação digital é para todos

Nos últimos meses, as organizações têm feito uma descoberta importante – usar as tecnologias digitais para criar recursos inovadores oferece um valor significativo ao negócio. E assim, os inovadores não apenas permaneceram ativos durante a pandemia, mas se destacaram. E se fortaleceram, para avançar no cenário pós-crise.

Recentemente, a International Data Corporation (IDC) apurou se o interesse das empresas em buscar inovação digital mudou desde o auge da pandemia. E, assim, descobriu que a maioria das organizações (69%) planeja fornecer produtos e serviços digitais inovadores no mesmo ritmo, ou mais rapidamente, que nos últimos dois anos. Apenas 27% disseram que iriam desacelerar.

Ao nos aprofundarmos nos dados, vemos uma nuance interessante: as companhias maiores são significativamente mais propensas do que as menores a acelerar o desenvolvimento da inovação digital.

A IDC entendeu que aquelas com pelo menos 20.000 funcionários têm maior probabilidade (52%) de fornecer produtos ou serviços digitais inovadores em um ritmo mais acelerado do que nos últimos dois anos. Também são os menos propensos a diminuir o ritmo da inovação digital.

Por outro lado, organizações com menos de 5.000 funcionários se mostraram menos propensas a acelerar o ritmo da inovação digital do que a entregar no mesmo ritmo ou em um ritmo mais lento. E esse comportamento, inegavelmente, se qualifica como um alto risco à continuidade do negócio, já que a tecnologia é um fator fundamental de diferenciação e de escalabilidade da operação.


LEIA MAIS: Futuro da conectividade: entenda a evolução na América Latina


Conectividade nos Data Centers ODATA

Como vimos, os Data Centers têm um papel fundamental na configuração da conectividade utilizada pelas empresas. Em especial, a característica de neutralidade da rede é um fator decisivo, já que confere independência dos serviços oferecidos pelas operadoras de telecomunicações, possibilitando a rápida e automática mudança em caso de interrupção.

Os Data Centers da ODATA são, por definição, neutros em conectividade (Carrier Neutral), o que significa que permitem a interconexão entre diversas operadoras e provedores de internet. Essa característica, de grande importância à expansão dos negócios dos clientes, garante total liberdade de escolha pela melhor conexão, de acordo com necessidades específicas.

Toda a infraestrutura de seus Data Centers distribuídos em importantes localidades na América Latina foi projetada para garantir o tráfego de um grande volume de dados e uma ampla conectividade, com diversas carriers e acesso a rotas internacionais.

Com uma estrutura de SDN (Software Defined Network) própria e por meio de conexões lógicas, entrega rapidez, redundância e competitividade financeira. Além disso, sua rede local (LAN) de alta capacidade e baixa latência permite a montagem de um ambiente voltado à cloud computing ou a sistemas de missão crítica. Utiliza entradas subterrâneas redundantes de fibras ópticas, grande oferta de fibra acesa e apagada, e duas salas de telecomunicações (MMR).

A plataforma de interconexão multisserviços oferecida pela empresa é uma porta única para todos os seus serviços de conectividade. Além disso, sua pilha completa de serviços de TIC a ajuda a atender melhor seus clientes e seus desafios – seja permitindo um modelo de força de trabalho híbrido ou ajudando-os a desenvolver uma melhor experiência do cliente.

Desse modo, a ampla experiência da ODATA garante que todos os elementos das iniciativas de inovação digital de seus clientes estejam conectados de ponta a ponta.

Quer saber mais sobre como acelerar a inovação digital da sua operação?

E-BOOKS exclusivos

para você conhecer mais sobre o mundo do Colocation

Melhore os índices de sustentabilidade da sua empresa

Fazer o download

Entenda os fundamentos básicos para escolher um modelo de data center

Fazer o download

Assine nossa newsletter

A ODATA utiliza cookies para melhorar sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com essas condições.