Aceleração Digital

Aceleração digital: porque os Data Centers são essenciais para a evolução dos negócios

Leitura de 7 minutos
08/09/22

Se os dados vêm se consolidando, a uma velocidade cada vez maior, como a força vital da economia na atualidade, os Data Centers inegavelmente se qualificam como a espinha dorsal dessa aceleração digital.

Tal avanço é impulsionado pela adoção de aplicações que movimentam grandes volumes ​​de dados, como os dispositivos baseados em Internet das Coisas (IoT), em inteligência artificial e em cloud computing. E, como resultado, o papel dos Data Centers também está se expandindo, servindo como um ponto de interseção para os dados de indivíduos, empresas e economias.

Nesse cenário, a modernização dos Data Centers é uma premissa essencial para que as organizações estejam preparadas para acompanhar a evolução tecnológica.

Quer saber o que é preciso para que a sua empresa embarque nessa jornada? Leia a seguir:

O que está impulsionando a aceleração digital hoje?

Nos últimos 20 a 30 anos, observamos uma incrível aceleração digital na sociedade e nos negócios. Desde o advento da internet até dos dispositivos móveis e da inteligência artificial, a tecnologia não apenas mudou nossas vidas cotidianas e as rotinas empresariais, mas também impulsionou uma transformação em nosso papel como consumidor.

Como resultado, quem prioriza a aceleração digital é que está se destacando.

E isso vale tanto para organizações com presença online já estabelecida, como as nativas digitais, quanto para marcas tradicionalmente off-line, que reconhecem que uma experiência digital negativa pode ser prejudicial à experiência do cliente e sua fidelização, para a reputação da empresa e muito mais.

Assim, de modo geral, é esse reconhecimento da necessidade de mudança – nas relações sociais, na mentalidade, na cultura de negócios e na tecnologia – o que impulsiona a evolução efetiva.

Consequentemente, entendendo-se as oportunidades que a alavancagem de insights de dados pode trazer – para simplificar, informar e integrar a atividade em todas as áreas do negócio – os impulsionadores por trás da aceleração digital ficam bem claros.

Nesse cenário, a previsão da consultoria IDC de que mais de 175 zettabytes de dados serão gerados anualmente até 2025 parece estar se concretizando. E assim, a proliferação desses elementos em nossas rotinas se multiplica a uma velocidade fenomenal.

Por sua vez, para hospedar e trafegar todo esse volume de dados, os Data Centers desempenham uma função essencial, como um coração que bombeia vitalidade pela estrutura humana. Entenda melhor a seguir.

Assine a newsleter Data Center Insights

O que são e como funcionam os Data Centers?

Um Data Center (ou Centro de Processamento de dados, como também pode ser chamado por aqui) é uma instalação composta por computadores em rede, sistemas de armazenamento e infraestruturas de computação e de conectividade. Por sua vez, as organizações os utilizam para montar, processar, armazenar e disseminar grandes quantidades de dados.

Assim, se considerarmos que as empresas normalmente dependem fortemente de aplicações, serviços e de dados contidos em um Data Center para funcionar, fica fácil entender o motivo pelo qual é considerado um ativo crítico para as operações diárias.

Na prática, para que determinada organização colete recursos e infraestrutura para processamento, armazenamento e comunicação de dados, seu Data Center deve incluir:

  • sistemas para armazenar, compartilhar, acessar e processar dados em toda a organização;
  • infraestrutura física para suporte ao processamento e comunicação de dados;
  • e utilitários, como refrigeração, eletricidade, acesso de segurança de rede e fontes de alimentação ininterruptas (UPS).

Por sua vez, reunir todos esses recursos em um Data Center permite que a organização:

  • suporte o processamento de dados de forma rápida, segura e com baixa latência
  • realize funções como armazenamento, gerenciamento, backup e recuperação de dados
  • hospede aplicativos de produtividade, como e-mail e ferramentas de colaboração
  • habilite transações de comércio eletrônico de alto volume
  • centralize o acesso de funcionários, contratados e fornecedores de TI
  • proteja sistemas e dados proprietários, aplicando controles de segurança da informação a sistemas;
  • e que realize economias de escala ao consolidar sistemas sensíveis em um só lugar.

LEIA MAIS: Infraestrutura de Data Center: o coração tecnológico de toda empresa


Conectividade no Data Center

As organizações estão redefinindo suas atividades com base na digitalização e, para isso, precisam de um novo regime de serviço de interconexão.

A conexão com a internet é, sem dúvida, uma das premissas vitais para a continuidade das operações de qualquer tipo de empresa nos tempos atuais – em especial, após o período de isolamento social imposto pela Covid-19. E essa, por sua vez, é uma das funções críticas de um Data Center.

Isso porque, sem conexão externa, um Data Center é apenas um edifício de computadores que só conseguem conversar entre si.

Hoje, a conectividade é parte integrante da maneira como vivemos nossas vidas e está no centro de todas as jornadas de aceleração digital. Em contrapartida, o Data Center é um elemento crucial dessa jornada e precisa ser considerado no contexto das iniciativas de modernização mais amplas do negócio.

Antigamente, nos tempos mais remotos do uso da internet, um computador falava diretamente com outro e obtinha tudo o que precisava. E um atraso de vários milissegundos não causava um problema. Agora, no entanto, as operações empresariais demandam iniciativas cada vez mais complexas para minimizar a latência da rede e, assim, conseguir atender às necessidades de seus clientes cada vez mais rapidamente.

Como exemplo, em termos de experiência do usuário, estudos de fator humano mostraram consistentemente ao longo de 30 anos que atrasos de 1 segundo interrompem o fluxo de pensamento, enquanto interrupções de mais de 10 segundos fazem com que o internauta perca sua atenção. Por esse motivo, os usuários reclamam consistentemente das velocidades lentas de sites e aplicativos.

Vantagens da neutralidade

A tendência da arquitetura híbrida continua avançando e, hoje, não é incomum que uma empresa distribua sua carga de trabalho de TI entre um centro de dados local, um (ou mais) ambientes de nuvem e um serviço de Colocation.

Dentro desses buckets, possivelmente há vários microsserviços espalhados por diferentes servidores. E à medida que o número de pontos de comunicação aumenta, também cresce a importância de se manter essas comunicações estáveis e rápidas.

Diante dessa necessidade, o setor evoluiu para a construção de Data Centers compostos por múltiplos provedores de fibra – instalações às quais chamamos de neutras, ou carrier neutral, no original em Inglês. Isso significa que a empresa cliente não fica limitada a usar um único provedor de internet dentro de um prédio, mas tem a opção de selecionar ou de alternar o uso entre os vários provedores.

Assim, com o advento dos Data Centers neutros em operadora, vários provedores de fibra começaram a construir conexões preventivamente. Isso significa que quando um provedor de fibra está on-net, seus clientes não precisam esperar que eles construam um ponto de presença.


LEIA TAMBÉM: Local, Colocation e Cloud: entenda como otimizar a conectividade entre os modelos


O papel do Data Center na aceleração digital

À medida que as organizações a reavaliam ofertas e redimensionam suas operações, veremos muito mais empresas transferindo suas cargas de trabalho para Data Centers mantidos por provedores especializados, como a ODATA. Isso porque essas instalações desempenham um papel crucial no suporte às expectativas de desempenho crescente de empresas de todos os tamanhos e setores.

Como exemplo, o Gartner divulgou recentemente uma previsão de que os investimentos mundiais em TI crescerão 3% em 2022 e que, nesse montante, espera que os gastos com sistemas de Data Center tenham o maior crescimento de todos os segmentos, com 11,1%.

No ambiente volátil de hoje, o Data Center é mais do que apenas uma instalação segura e protegida, com espaço equipado com energia confiável e uma rede.

Na prática, é uma adição valiosa a muitas infraestruturas organizacionais, uma extensão confiável da equipe de TI. E um fator indispensável para o suporte a funções baseadas em novas tecnologias como 5G, machine learning, inteligência artificial, Big Data, IoT, blockchain e até para os desdobramentos do metaverso no futuro próximo.

Assim, as capacidades de acompanhamento da aceleração digital atuarão cada vez mais como um barômetro para a resiliência econômica. Consequentemente, prosperarão as organizações que conseguirem modernizar seus Data Centers para suportar essa passada.


LEIA MAIS: Modernização da infraestrutura de Data Center é crucial para suportar aumento no tráfego de dados


Quer saber como os Data Centers podem impulsionar a aceleração digital e os negócios da sua empresa?

Fale com a ODATA

E-BOOKS exclusivos

para você conhecer mais sobre o mundo do Colocation

Melhore os índices de sustentabilidade da sua empresa

Fazer o download

Entenda os fundamentos básicos para escolher um modelo de data center

Fazer o download

Assine nossa newsletter

A ODATA utiliza cookies para melhorar sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com essas condições.