Conectividade em um data center carrier neutral

Como um Data Center Neutro pode garantir sua conectividade em tempos de crise

Leitura de 6 min
04/02/20

Crescem a cada dia as dúvidas em relação à capacidade das redes de internet suportarem o exponencial aumento de demanda, já que muitos de nós, agora, trabalhamos em casa.

A conectividade está em risco? Que tipo de impacto o aumento de tráfego poderia trazer ao seu Data Center – e, consequentemente, à operação da sua empresa? 

Além dos riscos de ciberataques, com grande parte das equipes atuando fora dos ambientes corporativos naturalmente mais seguros, o grande temor é o de um downtime – ou de inatividade do Data Center.

A verdade é que o mundo da tecnologia da informação já passou por diferentes situações de crise ao longo das décadas, mas o coronavírus tem se imposto à população mundial como uma ameaça diferente das demais.

A maior parte dos setores (se não todos) está sendo afetada. E, por isso, é essencial que você esteja ciente das implicações que podem surgir.

Neste artigo discutiremos as melhores práticas e apontaremos caminhos para que os gestores de Data Centers possam manter suas operações estáveis, enquanto cuidam do bem-estar das suas equipes.

Acompanhe!

Será que as redes vão dar conta?

88% das organizações incentivaram ou exigiram que seus funcionários trabalhassem em casa, independentemente de apresentarem ou não sintomas relacionados ao coronavírus. A pesquisa, realizada pelo Gartner com 800 executivos globais de RH, em 17 de março de 2020, revela a extensão da pandemia (e seu impacto sobre o mercado de trabalho) em todo o mundo. 

Com mais profissionais usando comunicações digitais e consumindo conteúdo em streaming, a rede e a infraestrutura dos Data Centers passaram a desempenhar um papel mais importante do que nunca.

Para sobrevivermos à quarentena, a conexão à internet tem se estabelecido como solução crucial não somente para as interações sociais, mas também para a manutenção e a continuidade dos negócios

Mas com tamanha dependência da conectividade, será que as estruturas de telecomunicações darão conta? Qual seria o impacto de uma interrupção repentina no serviço?

Esse tipo de dúvida é natural. No entanto, é importante lembrar que as redes de comunicações fixas e móveis são construídas para suportar grandes volumes de acesso, especialmente em horários de pico.

Acompanhe o raciocínio: serviços de streaming, como Netflix, ou jogos, por exemplo, são amplamente utilizados aos finais de semana ou à noite. Sabidamente, aplicações como essas consomem muito mais largura de banda do que as ferramentas de colaboração e de trabalho remoto (como e-mails, chamadas de voz e vídeo) e, ainda assim, as redes se mantém estáveis nesses períodos de maior utilização.

Portanto, pode-se concluir que, por ora, a situação da conectividade parece estar controlada.

No entanto, é preciso lembrar que vivemos uma situação sem precedentes. Além de famílias e empresas, a pandemia do coronavírus está afetando a toda a comunidade global com as orientações de isolamento.

Nesse sentido, é imperativo preparar a sua TI para qualquer tipo de eventual agravo.

O risco da dependência de um provedor exclusivo

Como vimos,  o sistema parece dispor de capacidade suficiente para lidar com muito mais pessoas trabalhando em casa, mesmo com os aumentos significativos do home office frente à pandemia do coronavírus.

Aqui no Brasil, os maiores provedores de banda larga anunciaram um regime de plantão permanente para suas equipes de implantação, instalação, reparo e manutenção de rede e serviços. A proposta é que esses profissionais operem de forma contínua durante a quarentena, para assegurar a continuidade dos serviços – salvo em situações de risco à saúde de funcionários e clientes.

Nessa linha, o que aconteceria se muitos dos profissionais que trabalham para sua operadora ficassem doentes ou precisassem se isolar?

Uma eventual baixa na conectividade poderia levar seu Data Center a uma situação de indisponibilidade (ou downtime), impactando não somente a segurança dos seus sistemas e workloads, mas a operação como um todo.

Data Center neutro

São situações disruptivas como essa, exemplificada acima, que revelam os maiores riscos da dependência de um provedor exclusivo. 

E, aqui, a neutralidade de Data Center (ou carrier neutrality) – benefício oferecido por provedores de serviços de Colocation –, tem despontado como um atributo dos mais vantajosos para assegurar a estabilidade dos sistemas em tempos de crise.

Mas afinal, o que torna um Data Center neutro?

Data Center neutro em operadora (ou carrier neutral) significa que essa estrutura é totalmente independente de provedores de rede, já que não pertence a nenhuma delas. E, portanto, não depende de um único ISP (Internet Services Provider).

Ebooks Os principais fundamentos para contratar serviços de colocation

Por que a neutralidade de Data Center é tão importante?

Para entender a importância de um carrier neutral é necessário observar que quando uma organização hospeda seus servidores em um ambiente de Data Center – seja na própria empresa ou em uma estrutura externa -, torna-se dependente desse recurso para todas as suas necessidades de conexão à internet.

No caso dessa instalação contar com os serviços de uma operadora única, o cliente teria pouca (ou nenhuma) opção de conectividade no caso de uma eventual interrupção. Embora esse provedor ofereça atualizações ou diferentes níveis de serviço, teria acesso a uma flexibilidade limitada, oferecida apenas no próprio ecossistema do operador.

E sem a capacidade de selecionar entre um conjunto de opções de conectividade, a empresa ainda está exposta ao risco de alterações repentinas de preços ou serviços por parte desse provedor exclusivo. Se houver aumento nas tarifas de conexão à Internet, o cliente poderá ser forçado a avaliar os custos substanciais da migração para uma nova instalação.

Colocation: ampla variedade de soluções de conectividade

O Colocation Data Center oferece espaço físico e virtual para as empresas armazenarem e gerenciarem seus servidores e infraestrutura de dados. Ao eliminar os altos custos de manutenção de uma infraestrutura própria, podem concentrar seus recursos de TI em outras tarefas, proporcionando benefícios positivos ao negócio na forma de inovação e pesquisa, por exemplo.

Um dos principais benefícios da hospedagem de servidores em um ambiente de Colocation é a capacidade de alternância automática de provedor de internet, sem a necessidade de mover fisicamente os equipamentos para outro local.

Assim, os provedores de serviços de colocation oferecem uma ampla variedade de opções de conectividade, garantindo aos clientes máxima disponibilidade por meio de redundância física e lógica.

  • Física: Conta com abordagem de fibras via caminhos distintos, chegando em salas de telecomunicações totalmente independentes (de acordo com norma ANSI/TIA-942)
  • Lógica: Conta com cinco upstreams diferentes – ou seja, cinco caminhos distintos e apartados para comutar o tráfego de internet, por meio do protocolo BGP. Utiliza um backbone sem qualquer SPOF (ponto único de falha).

Avalie o nível de dependência do seu Data Center

Neste artigo, vimos como um Data Center em colocation se beneficia de diversos atributos – em especial, da alternância automática de rede de internet para outro provedor, em caso de uma eventual interrupção dos serviços da operadora atual.

Contar com o colocation na composição de uma arquitetura Data Center híbrida pode não só garantir a estabilidade dos seus workloads, mas ajudar a sua empresa a avançar na jornada de transformação digital.

Quer avaliar o nível de dependência do seu Data Center? Precisa melhorar a conectividade?

Conte com o apoio consultivo dos especialistas da equipe ODATA.

Conheça a ODATA a melhor empresa de Data center, fale com um especialista

E-BOOKS exclusivos

Para você conhecer mais sobre o mundo do Colocation

O guia definitivo para migrar seu Data Center

Fazer o download

Entenda os fundamentos básicos para escolher um modelo de data center

Fazer o download

Assine nossa newsletter

Copyright © 2020 ODATA - Todos os direitos reservados.