Resiliência de Data Centers: como ter uma infraestrutura livre de downtime

Leitura de 7 minutos
03/10/21

Todo negócio está, naturalmente, exposto a inúmeros riscos, como invasões cibernéticas, desastres naturais e eventuais indisponibilidades. Com a adoção de recursos digitais acelerada pela pandemia, o uso de serviços terceirizados ou alocados em nuvem cresceu na mesma intensidade. Tal cenário vem exigindo uma característica crucial: a resiliência de Data Centers.

Aqui, estamos falando especificamente da importante capacidade da organização lidar com problemas, de reagir rapidamente a mudanças, superar obstáculos e não desistir em situações de pressão ou estresse total. Durante o isolamento social, por exemplo, as companhias precisaram se adaptar quase que imediatamente ao trabalho remoto para dar continuidade à operação. Isso é ser resiliente.

No caso de um Data Center, o termo está relacionado à necessidade de cercá-lo de tecnologias, soluções e procedimentos que poderão evitar crises e ainda garantir as habilidades adequadas para gerenciar possíveis indisponibilidades. 

No cenário atual, entendemos que a tarefa de assegurar a redundância de Data Centers é algo complexo, mas o apoio de parceiros adequados e capacitados pode fazer toda a diferença.

Quer saber como tudo isso funciona, os recursos necessários e sua importância para toda a operação? Siga conosco na leitura deste artigo.

Resiliência de Data Centers: por que é fundamental

Um estudo publicado pela Fundação Dom Cabral em 2021 mostrou que vivemos a “era da resiliência”. Segundo o documento, a pandemia ocasionada pela propagação da Covid-19 modificou a maior parte das dinâmicas nos escritórios, exigindo a inclusão de diversas ferramentas digitais e também de novos hábitos no dia a dia dos profissionais.

Consequentemente, uma das mudanças mais recorrentes, bastante ligada ao modelo de trabalho híbrido, foi a migração das cargas de trabalho para ambientes alocados em nuvem. Para se ter uma ideia, segundo uma projeção divulgada pelo Gartner em novembro de 2020, haverá um aumento de 18% nos gastos com cloud pública até o final de 2021

Ademais, a consultoria destacou em outro estudo recente que as agências governamentais planejam modernizar seus processos essenciais justamente com o intuito de melhorar a resiliência e a agilidade das operações. Isso implica em repensar estratégias, colocando o digital no centro, para assegurar maior eficiência, rapidez nas respostas e segurança dos dados.

Desse modo o Data Center, elemento vital das infraestruturas de TI das companhias, tem destaque na lista dos componentes que mais necessitam de processos para assegurar sua resiliência. E os profissionais da área já vêm trabalhando para aprimorar suas entregas nesse quesito. Segundo um estudo também realizado pelo Gartner, depois de quedas consecutivas, os gastos globais com esse tipo de infraestrutura devem crescer 6% até o final deste ano.

Nesse contexto, bastante voltado à atualização dos modelos existentes, tem sido cada vez mais comum as organizações manterem infraestruturas de TI complexas, compostas por diferentes modelos de Data Centers, como nuvem e Colocation, por exemplo. Quando há essa característica híbrida, os níveis de controle de recursos e de visibilidade das ações podem diminuir.

Sendo assim, a resiliência aparece como uma preocupação fundamental para evitar eventos de downtime e outros problemas graves na disponibilidade dos serviços.


LEIA MAIS: Entenda porque a recuperação de desastres é ainda mais importante no pós-crise


Newsletter sobre Data center, Infraestruturas de TI e tendências tecnológicas da ODATA

Redundância é diferente de resiliência

É  comum haver confusão entre esses dois conceitos. Um Data Center redundante é aquele equipado com recursos tecnológicos e soluções específicas, como backups, multiplicidade de provedores de internet e de energia, firewalls, roteadores, drives em nuvem, switches e sistemas de resfriamento, entre outros. 

Dessa maneira, tais elementos vão garantir que o sistema não pare de funcionar caso aconteça algum tipo de problema. Ou seja, sempre haverá alternativas para evitar o temido downtime, permitindo que as aplicações estejam sempre disponíveis.

Sendo assim, podemos classificar a redundância como um dos aspectos essenciais para assegurar a resiliência de um Data Center. Isso porque, aliadas a ela, devem ser desenvolvidas estratégias capazes de evitar interrupções e, principalmente, os procedimentos que serão eficientes para gerenciar a crise. Por outro lado, a resiliência é a capacidade de responder e se recuperar rapidamente de transtornos ou situações delicadas.

Então, para ficar claro:

  • REDUNDÂNCIA é a duplicação de dados ou sistemas, a adoção de equipamentos de backup ou o uso de links capazes de assumir imediatamente infraestruturas que, por algum motivo, falharam. Fonte: Gartner.
  • RESILIÊNCIA é a capacidade de um servidor, rede, sistema de armazenamento ou um Data Center inteiro se recuperar rapidamente e continuar operando, mesmo quando ocorre uma falha de equipamento, queda de energia ou outro tipo de interrupção. Fonte: TechTarget.

Com isso, quanto mais níveis de redundância houver na infraestrutura, maior será a resiliência de Data Centers. Tais recursos, aliados à inteligência das equipes, permitirão a continuidade do negócio.

Aliás, outro fator fundamental é entender que eles não são todos iguais. Cada provedor tem características específicas, que vão desde a localização até a qualidade dos seus serviços oferecidos. 

E são esses os aspectos que irão ditar os níveis de resistência da infraestrutura escolhida. Se ela for sólida, com excelente conectividade, condições adequadas, segura fisicamente e estar em uma localização estratégica, certamente as chances de indisponibilidade do serviço diminuem.

tecnico de data center trabakhando em racks dentro de espaço confinado.

Colocation: infraestrutura ideal para promover a resiliência de Data Centers

No caso do Colocation, serviço no qual a infraestrutura é preparada para hospedar os servidores das empresas, a resiliência de Data Centers tende a ser elevada. Isso porque trata-se de um ambiente monitorado, desenvolvido exclusivamente para acomodar os equipamentos. Por isso, dispõe de todas as camadas de redundância necessárias, além de contar com o suporte de técnicos especializados, 100% disponíveis no local.

Assim, ao optar por esse tipo de serviço, a empresa tem ganhos que contribuirão diretamente para a invulnerabilidade de toda a sua rede corporativa. De um modo geral, os benefícios estão atrelados a três importantes aspectos da infraestrutura:

Operação

A resiliência depende do conhecimento dos equipamentos utilizados. Ao realizar a manutenção e o monitoramento frequentes, as chances de indisponibilidade do serviço despencam. Daí a importância de seguir cronogramas específicos e de manter uma equipe capacitada e dedicada.

Conformidade

Em negócios de missão crítica, como hospitais e instituições financeiras, há uma série de regras a serem seguidas, sobretudo em relação à proteção da rede. Então, quando um Data Center não segue tais imposições, há grandes chances de resultar em multas e penalidades. Além disso, a infraestrutura fica mais exposta a falhas relacionadas à segurança, que podem ocasionar problemas graves.

Equipes

Os profissionais que atuam diretamente no Data Center devem ser altamente capacitados, com os treinamentos e as certificações necessárias. Essa dedicação integral, 24 horas por dia, nos sete dias da semana, tem um papel central nas estratégias de resiliência.


SAIBA MAIS: Disaster Recovery: saiba por que o Colocation é essencial para evitar prejuízos em crises


Conclusão

Como vimos, a resiliência de Data Centers é essencial para o negócio, o que significa que a organização tem a capacidade de evitar falhas. E, principalmente, de manter o seu funcionamento mesmo diante de uma situação adversa. Contudo, isso depende de uma série de fatores, que estão diretamente atrelados à redundância.

Consequentemente, uma infraestrutura segura deve ter multiplicidade de provedores de internet, backups e diferentes fontes de energia, além de sistemas específicos de gerenciamento e firewalls integrados, entre outros. Tais recursos fazem parte de uma estratégia redundante, assegurando que a rede não ficará indisponível.

Nesse caminho, é pertinente lembrar que o downtime é um tipo de incidente capaz de afetar a empresa de diferentes formas, sendo muitas vezes irreversíveis para sua saúde financeira e para a reputação da marca.

O Colocation, por sua vez, aparece como um caminho interessante para promover a resiliência de Data Centers, por ser um serviço naturalmente estável. Isso porque sua infraestrutura foi pensada para promover todas as camadas de segurança e a estabilidade necessárias. Além disso, agrega a expertise de técnicos que estão 100% disponíveis no local para monitorar, realizar o suporte necessário e identificar pontos de melhoria.

Referência nesse setor, a ODATA oferece sites completamente pensados para funcionar de modo ininterrupto, com segurança e o acompanhamento de profissionais certificados.


Quer saber mais sobre as vantagens do Colocation para aprimorar a resiliência do seu Data Center e para otimizar a performance do seu negócio?

E-BOOKS exclusivos

para você conhecer mais sobre o mundo do Colocation

Entenda os fundamentos básicos para escolher um modelo de data center

Fazer o download

O guia definitivo para migrar seu Data Center

Fazer o download

Assine nossa newsletter

A ODATA utiliza cookies para melhorar sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com essas condições.