Um Data Center pode garantir 0% de downtime?

Leitura de 4 minutos
13/12/18

Alguma vez você já acessou um site que estava fora do ar? E os sistemas da sua empresa, já ficaram fora de operação por algum tempo? Esses problemas são decorrentes de eventos de downtime (ou tempo de inatividade).

Na prática, será que é possível garantir que uma operação de TI nunca fique indisponível, ainda que por poucos segundos?

Quando o assunto é Data Center e seus softwares, desempenho, segurança e disponibilidade são essenciais.

Assim, quando um usuário se depara com acessos indisponíveis, a sensação não é nada boa.

Quer saber o que fazer para evitar essa situação, especialmente em tempos de crise?

Preparamos este artigo destacando as causas desta situação e trouxemos orientações importantes para evitá-la.

Acompanhe conosco.

Afinal, o que é downtime?

O chamado downtime (indisponibilidade ou tempo de inatividade), representa o período que seu servidor fica fora do ar, comprometendo o acesso a informações e sistemas pelos usuários.

Para ilustrar, vamos calcular a disponibilidade de um servidor durante 1 ano. Consideramos neste cálculo cinco horas de downtime:

  • Disponibilidade = Total de tempo – tempo de downtime / Total de tempo
  • Disponibilidade = 8760 – 5 / 8760
  • Disponibilidade = 99,94%

Portanto, isso implica em dizer que quanto menor o downtime de um Data Center, maior a disponibilidade dos serviços. E maior a satisfação de quem os utiliza, o que também resulta em resultados mais positivos para sua empresa.

No entanto, garantir 100% de disponibilidade é algo praticamente impossível por diversos fatores, que incluem desde a infraestrutura, até a segurança e nível de serviço, entre outros, dos serviços de provedores com os quais sua empresa opera.

Mas existem formas de reduzir o risco. E você precisa conhecê-las.

Causas de downtime e formas de minimizá-las

Um estudo da Emerson Network Power Independently, conduzido pela Ponemon Institute LLC, indicou como as principais causas das queda de data centers falhas no sistema de no-breaks e baterias, cibercrime e erro humano.

Esse relatório também revelou que o custo do tempo de inatividade aumentou em 38% entre 2010 e 2016. No mesmo período, os custos máximos de tempo de inatividade estão subindo mais rápido que a média, aumentando 81%.

Por esse motivo, buscar soluções para minimizar a queda de conectividade e o downtime é essencial. Para isso, dispor de um Data Center com uma excelente infraestrutura e serviços é o primeiro passo.

Já falamos aqui no blog dos diversos tipos de Data Center. E não importa qual seja a escolha, existem requisitos que precisam ser considerados. Caso contrário, sua empresa corre o risco de lidar diariamente com um data center fora de operação.

Requisitos essenciais

Existem requisitos de infraestrutura que são fundamentais para garantir velocidade, confiabilidade e escala para seus serviços de Data Center. Sistemas de geração de energia redundantes, por exemplo, podem garantir que no-breaks e baterias sejam mantidas em funcionamento por mais tempo.

Já o controle de acesso com padrões internacionais de segurança, combinados com tecnologias avançadas e rigorosos processos para garantir segurança física e lógica também são essenciais. Ele ajuda a evitar acessos indevidos, falhas humanas e crimes cibernéticos.

Só um Data Center com infraestrutura de ponta pode garantir um melhor SLA (Service Level Agreement) de downtime.

No início deste post, fizemos um cálculo considerando cinco horas de downtime em um ano. Pode parecer pouco, mas avalie os números abaixo:

  • 100% – Representa nenhum downtime no ano, ou seja, o data center não esteve nem um minuto sequer indisponível
  • 99,999% – Menos de 5,26 minutos
  • 99,99% – De 5,26 a 52 minutos
  • 99,9% – De 52 minutos a 8 horas e 45 minutos
  • 99% –  De 8 horas e 45 minutos. a 87 horas e 56 minutos
  • 90% –  87 horas e 56 minutos a 875 horas 54 minutos

Fonte: Microsoft

Como garantir disponibilidade? Cheque as certificações

Qualquer minuto de downtime impacta na operação e nos custos envolvidos no processo. Você certamente espera 24×7 de uptime, ou seja, a maior disponibilidade possível.

Uma forma de identificar a garantia de disponibilidade oferecida por um provedor de data Center é checar a certificação de Tier que ele mantém. Pode variar de I a IV, sendo a última a mais avançada.

E, assim, os níveis da certificação se referem aos seguintes porcentuais de uptime:

  • Tier I – 99,671% – em torno de 28,8 horas de downtime em um ano
  • Tier II – 99,741% – cerca de 22 horas de downtime em um ano
  • Tier III –  99,982% – por volta de 1,5 horas de downtime em um ano
  • Tier IV- 99,995% – em torno de 26.3 minutos de downtime em um ano

De qualquer forma, tenha em mente que a garantia de 0% de downtime não é real.

Então, avalie as necessidades do seu negócio e conte com a ajuda de um provedor especializado, como a ODATA, para encontrar o melhor modelo de Data Center para sua empresa.

Analise os possíveis fornecedores sob essa ótica:

Quanto melhor o SLA de downtime, menor o risco de seu Data Center ficar fora de operação.

Conheça os Data Centers ODATA

Aqui na ODATA, por exemplo, trabalhamos com os níveis de TIER III, garantindo disponibilidade de 99,982% – o que representa em torno 1,5 horas de downtime em um ano.

Vale destacar que mantemos a disponibilidade de 100% de uptime, com Data Centers na modalidade colocation.

Se você quiser avaliar esse modelo para sua empresa, fale com os nossos especialistas.

QUERO AGENDAR UMA REUNIÃO COM A ODATA 

E-BOOKS exclusivos

para você conhecer mais sobre o mundo do Colocation

Entenda os fundamentos básicos para escolher um modelo de data center

Fazer o download

O guia definitivo para migrar seu Data Center

Fazer o download

Assine nossa newsletter

A ODATA utiliza cookies para melhorar sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com essas condições.