homens trabalhando em corredor de data center, luzes se conectando, remetendo diversas conexões entre os racks de um data center

Cross connect em Data Centers: tudo o que você precisa saber

Leitura de 6 minutos
14/09/22

Embora a conectividade seja um dos componentes mais básicos e, ao mesmo tempo, um dos mais críticos em um Data Center, ainda é bastante comum a dificuldade em entender as opções existentes. De fato, existem inúmeras variações e, hoje, vamos nos dedicar a entender melhor o modelo de cross connect.

O desempenho da rede é crucial para muitas organizações que desejam fornecer os melhores serviços ao cliente e ajudar seus funcionários com uma rede rápida e confiável. Melhorar a conexão de rede é sempre um ótimo complemento para sua infraestrutura de TI e pode ser alcançado por meio de conexões cruzadas.

Quer saber mais?

Neste artigo, detalharemos os diferentes tipos de conectividade com a Internet e como ela é usada no Data Center. Leia a seguir:

O que é cross connect e por que é importante?

Em um ambiente de Data Center, uma cross connect (ou conexão cruzada, como poderia ser traduzida para o Português) é uma conexão física direta entre diferentes ambientes, que garante alto desempenho à empresa.

Como exemplo, a cross connect pode conectar um rack de Colocation a um provedor de serviços específico, como um ISP, operadora de telecomunicações, provedor de rede ou provedor de nuvem diretamente no ambiente de TI do cliente.

Na prática, a cross connect é composta por hardware (cabos, cordões e jumpers) que conectam unidades separadas das instalações em um Data Center. As conexões cruzadas geralmente consistem de um cabo físico, que passa diretamente de um servidor para outro.

Desse modo, as linhas de conexão cruzada normalmente ficam acima dos racks de Colocation, no que se conhece como bandeja de cabos suspensa, direcionando-se para uma sala Meet-Me (MMR).

Assine a newsleter Data Center Insights

Vantagens do modelo

Há muitas razões pelas quais a cross connect é importante – entre as vantagens, pode-se destacar a redundância de conexão e a relação de custo-benefício geral.

Ao contrário da internet pública, as conexões cruzadas não são suscetíveis a problemas de latência ou congestionamento, são mais confiáveis e operam em velocidades consistentemente altas.

Além disso, o cabeamento e a integração de equipamentos sem intermediários dentro do Data Center oferecem mais benefícios, incluindo maior confiabilidade, melhor desempenho e baixa latência em um ambiente totalmente controlado.

A cross connect ainda reduz drasticamente o potencial de falha pois, com ela, apenas os pontos fortes da rede são considerados. Como exemplo, se a conexão cruzada diretamente do Data Center com o provedor de serviços em nuvem for possível, eliminará possíveis complicações que podem surgir quando os clientes tentam acessar a rede do fornecedor.

Consequentemente, se a disponibilidade e o desempenho do sistema são uma necessidade essencial para a empresa, a conexão cruzada se torna uma solução valiosa para boa parte dos seus problemas.

Ademais, a cross connect também normalmente oferece um custo mais interessante em relação às conexões realizadas por meio de redes de telecomunicações convencionais para a largura de banda fornecida.


LEIA MAIS: Local, Colocation e Cloud: entenda como otimizar a conectividade entre os modelos


Internet e conectividade de rede

Como vimos, a cross connect é usada para conectar os equipamentos de rede de uma empresa diretamente a provedores de Internet específicos em um Data Center. A maioria dos prestadores de serviços de Colocation são neutros em relação à operadora, o que significa que têm vários provedores on-net disponíveis em suas instalações.

Assim, é bastante comum que empresas especializadas, como a ODATA, disponham em seus Data centers de um ecossistema robusto, com diversas opções para ISPs, operadoras de telecomunicações e provedores de rede.

Nesse cenário, há ainda os Internet Exchanges (IX), também chamados de Internet Exchange Points (IXPs), que são pontos de conexão encontrados em Data Centers públicos e privados. Eles oferecem um ambiente de conectividade rico, abrangendo, às vezes, centenas ou até milhares de ISPs e redes de operadoras de telecomunicações.

Além de estar conectado à internet e redes de operadoras de telecomunicações, a cross connect também é usada para se conectar diretamente a um provedor de serviços em nuvem (CSP), como AWS, Microsoft Azure, Google Cloud e outros. Essa prática geralmente é chamada de conexão direta na nuvem.

As conexões cruzadas também são usadas para ligar um Data Center a outras instalações dentro de uma configuração de campus. Essa prática é conhecida como conexão cruzada intracampus e, em geral, é usada ​​para conectar racks de Colocation a um campus de Data Centers.

Assim, funciona conectando um ponto de agregação dentro de um Data Centers a um ponto de agregação disponível dentro de outro. A vantagem é que com conexões cruzadas intracampus, não há necessidade de comutação ou roteamento. A velocidade de conexão é muito rápida, pois utiliza-se uma conexão privada para mover dados em distâncias curtas.


LEIA TAMBÉM: Conectividade: o coração da inovação digital


Segurança aprimorada

Mesmo que os dados em trânsito sejam criptografados, ainda há uma chance de que sejam interceptados ou comprometidos ao viajar por redes públicas. Isso porque, ao transferir qualquer dado por meio de uma rede pública, ele fica suscetível a ataques cibernéticos. No entanto, com uma conexão cruzada, esse problema é mitigado.

Assim, a cross connect também se destaca como um recurso valioso para minimizar a perda de dados, promovendo a recuperação de desastres quando ocorrem emergências. Isso porque, além de fornecer uma solução para latência reduzida, permite uma transferência de dados mais segura por meio de conexões cruzadas, já que nenhum dado valioso está sendo transferido pela rede pública.

Como exemplo, se uma solução híbrida ou multicloud for implementada com uma cross connect entre o serviço do fornecedor de nuvem e a rede privada do cliente, a exposição dos dados pode ser drasticamente limitada.

Com a conexão cruzada, os dados confidenciais podem permanecer seguros atrás da proteção de uma rede privada até que estejam prontos para serem acessados. Portanto, as conexões cruzadas reduzem o potencial de comprometimento dos ativos.


LEIA MAIS: Disaster Recovery: saiba por que o Colocation é essencial para evitar prejuízos em crises


ODATA: infraestrutura central para conectividade intra Data Center

Os Data Centers da ODATA são, por definição, neutros em conectividade (Carrier Neutral), o que significa que eles permitem a interconexão entre as mais diversas operadoras de telecomunicações e provedores de internet. Essa característica, de grande importância à expansão dos negócios dos clientes, garante total liberdade de escolha pela melhor conexão, de acordo com necessidades específicas.

Por meio de seus serviços de Cross Connect, proporciona conexão com operadoras, acesso aos PIX e interconexões entre racks do mesmo cliente. Nas suas diversas modalidades, tais conexões são ofertadas através de cabeamentos redundantes e pré-instalados, em fibra ou UTP. Assim garante agilidade de entrega e proporcional baixa latência atrelada ao alto desempenho, com elevadas larguras de banda.

Em qualquer um dos Data Centers ODATA, uma Cross Connect permitirá que sua empresa se conecte a qualquer outro ambiente, aos principais provedores de nuvem e um número significativo de operadoras de rede.

Quer saber mais sobre como a sua TI pode se beneficiar da cross connect?

Fale com a ODATA

E-BOOKS exclusivos

para você conhecer mais sobre o mundo do Colocation

Melhore os índices de sustentabilidade da sua empresa

Fazer o download

Entenda os fundamentos básicos para escolher um modelo de data center

Fazer o download

Assine nossa newsletter

A ODATA utiliza cookies para melhorar sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com essas condições.