Segurança do Data Center: como mitigar ameaças físicas, humanas e digitais

Leitura de 6 minutos
03/10/21

A segurança do Data Center costuma ser monitorada por ferramentas e profissionais que avaliam constantemente as movimentações do ambiente. Porém, o uso cada vez maior da Cloud Computing, o aumento exponencial do trabalho remoto e a digitalização em ritmo acelerado descortinam novos desafios para o setor de TI.

Assim, a proteção da estrutura em todas as esferas aparece como ponto focal deste artigo. Isso porque, cada vez mais, os dados são vistos como ouro por criminosos, o que reforça a necessidade da adoção de estratégias cada vez mais eficazes na redução de riscos.

Tais ameaças podem ser provenientes de diferentes naturezas: física, humana e digital. Portanto, cabe aos operadores a tarefa de identificar pontos fracos e desenvolver abordagens para garantir a segurança dos Data Centers.

Neste artigo você verá, justamente, como isso acontece na prática e entenderá porque o Colocation é uma opção recomendada para companhias de diferentes setores e tamanhos.

Siga conosco para compreender todos os aspectos ligados ao tema.

Cenário atual pede segurança do Data Center

Um relatório desenvolvido recentemente pelo Uptime Institute Intelligence destacou aspectos considerados fundamentais para blindar um Data Center:

  • identificar pontos fracos,
  • desenvolver abordagens específicas de proteção,
  • atualizar processos e protocolos de segurança
  • e, em seguida, testá-los continuamente. 

Para os especialistas do instituto, tais práticas são capazes de reduzir as ameaças físicas, humanas e digitais que podem ocorrer nesses ambientes.

Considerando as condições de segurança do data Center, a importância de adotá-las no dia a dia tem sido cada vez maior, sobretudo com o uso, em maior escala, de soluções em nuvem. O trabalho remoto, por exemplo, é um grande motor para o reforço da preservação dos ambientes virtuais. 

Para se ter uma ideia, segundo o estudo Digital Worker Experience, da consultoria Gartner, 80% dos colaboradores estão utilizando ferramentas de colaboração para realizar suas atividades em 2021. E mais: até 2024, a previsão é de que as reuniões presenciais caiam de 60% para 25%, o que exigirá o uso de softwares baseados em cloud computing.

Tais hábitos implicam em um aumento da função crítica dos Data Centers. Ou seja, é fundamental que a estrutura escolhida esteja preparada para evitar ameaças que podem ser provenientes de diferentes naturezas.

Um Data Center pode receber ameaças físicas, humanas e digitais, o que exige uma infraestrutura devidamente preparada para mitigar riscos.”

Fonte: Uptime Institute Intelligence

Proteção para ameaças físicas

De acordo com o relatório do Uptime, a segurança do Data Center costuma ser estabelecida de duas maneiras, no que diz respeito ao aspecto físico: por profissionais que monitoram os espaços e por soluções voltadas à proteção da infraestrutura, como sistemas de identificação biométrica. 

É importante ter em mente que tais ambientes são compostos por alas diferentes, como a sala dos racks de TI, as de informática, as que acomodam os provedores de internet, as torres de resfriamento e as subestações elétricas, entre outras. Tudo precisa estar bem protegido para impedir acessos indesejados, minimizando riscos externos. Aliás, cada um desses locais exige um tipo de cuidado diferente.

Para a segurança em geral, por exemplo, a equipe deve ser composta por profissionais que monitoram as câmeras instaladas em pontos estratégicos. É essencial que eles façam patrulhas regulares e passem por treinamentos especializados. 

Portanto, qualquer veículo que entra em Data Center precisa ser revistado em sua totalidade, assim como os pertences dos visitantes, que devem ser deixados em um local seguro, logo no saguão inicial.

Como blindar os ambientes

No que diz respeito à tecnologia, entre as soluções e equipamentos mais utilizados vale destacar câmeras, sensores infravermelhos, autenticação multifator para os dispositivos de acesso (crachás e biometria, entre outros) e cercas de proteção.

A infraestrutura, por sua vez, deve contar com paredes de concreto para as torres de resfriamento e equipamentos mais críticos, diversas entradas (devidamente monitoradas), fossos e valas, que podem servir de armadilhas, além de um projeto de paisagismo criado especialmente para evitar aproximações.

Na sala de computadores, que é um dos pontos que exigem maior atenção, costuma haver uma lista de acesso para pessoas autorizadas, autenticação de múltiplos fatores, monitoramento constante por câmeras e profissionais dedicados, sensores de movimento e alarmes, entre outros recursos.

Ameaças humanas: o que fazer

Quando usamos a palavra “humanas”, nós nos referimos a possíveis erros que podem acontecer no dia a dia. Segundo o estudo do Instituto Uptime, trata-se da principal causa dos incidentes que ocorrem em Data Centers. Algum profissional pode desligar acidentalmente um sistema crítico, por exemplo, o que resultaria em uma porta de entrada para criminosos.

Para evitar esse tipo de problema, uma das maneiras mais eficientes é oferecer um treinamento adequado para os colaboradores responsáveis. O staff de um Data Center é um aspecto muito importante, daí a necessidade de estruturar uma equipe devidamente capacitada para exercer as suas funções.

Segurança do Data Center e as ameaças digitais

A possibilidade de gerenciar dispositivos remotamente, o uso exponencial de soluções em nuvem e o volume cada vez maior de dados sendo trocado na esfera virtual ampliam o interesse dos criminosos. E uma invasão pode ter consequências irreversíveis para muitos negócios. Esse cenário faz crescer a necessidade de se investir, de forma consistente, para evitar ciberataques.

Segundo o estudo realizado pelo Uptime, o desenvolvimento de uma estratégia de proteção deve acontecer a partir de uma colaboração com a equipe de segurança de TI, de modo contínuo e detalhado. Por ser um ambiente multicamada, requer também uma combinação de várias soluções e atitudes.

Assim, o modelo de segurança do Data Center deve ser capaz de identificar ameaças e vulnerabilidades em potencial, priorizando sempre os esforços de mitigação.

Receba conteúdos relevantes sobre Data Center, Modernização de Infraestruturas de TI e tendências tecnológicas da ODATA

Colocation: solução que reúne segurança física, humana, patrimonial e viabiliza de forma mais eficaz a virtual

Ao migrar as cargas de trabalho para um Data Center, é fundamental apostar em serviços especializados, habilitados para blindar ações criminosas. Isso vale para segurança física, patrimonial, humana e virtual – todas essas questões devem ser consideradas. 

Nesse cenário, um bom exemplo de serviço que reúne todas essas premissas é o Colocation, que consiste da locação de uma infraestrutura totalmente preparada para hospedar servidores.

Tais ambientes são equipados, de modo nativo, com soluções tecnológicas que protegem o Data Center de invasões físicas, falhas humanas e desastres naturais. Trata-se de um serviço com diversas camadas de proteção física, como biometria, automação e monitoramento, sempre com total disponibilidade de internet.

Inclusive, a multiplicidade de provedores inerente à solução garante conexão ininterrupta que, aliada ao respaldo da segurança física e patrimonial, assegura maior proteção 24 horas por dia, nos sete dias da semana.

Desse modo, reúne as técnicas capazes de mitigar os riscos apontados pelo relatório do Uptime como críticos, uma vez que é nativamente preparado para receber e acomodar os servidores.


LEIA MAIS: Disaster Recovery: saiba por que o Colocation é essencial para evitar prejuízos em crises


Conclusão

Riscos físicos, humanos, patrimoniais e digitais existem, mas devem ser mitigados a partir de uma escolha inteligente. E o Colocation aparece como uma opção interessante, sobretudo por ser nativamente preparado para enfrentar problemas provenientes de diferentes naturezas.

Especializada em Colocation, a ODATA oferece a melhor infraestrutura para acomodar os servidores da sua empresa, com total segurança e condições adequadas. Dessa forma, é possível aliar as melhores soluções de proteção física aos caminhos mais indicados para viabilizar a proteção virtual.

Quer saber mais sobre o tema?

Entre em contato e conheça mais sobre a ODATA, a mais moderna empresa de Data Center da América Latina

Aproveite para saber também mais sobre segurança virtual em Data Centers e os desafios do trabalho híbrido.

E-BOOKS exclusivos

para você conhecer mais sobre o mundo do Colocation

Entenda os fundamentos básicos para escolher um modelo de data center

Fazer o download

O guia definitivo para migrar seu Data Center

Fazer o download

Assine nossa newsletter

A ODATA utiliza cookies para melhorar sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com essas condições.